quarta-feira, 20 de maio de 2009

1º ANIMA HEROES- Parte 2

Quase chegando em nossa capital, uma turma de cosplayers (fantasiados) toda de preto e usando chapéus, embarcaou no ônibus.
Perguntei a eles: "Tão indo pro ANIMA HEROES, né?"
E confirmaram.
Aquela resposta me inspirou a tirar minha fantasia de Spirit da mochila. A vesti quase toda, exceto as calças, porque não sou doente pra cometer atentado ao pudor num transporte público.
Por coincidência, os cosplayers e eu descemos na mesma parada.
A rua que faz parte do trajeto é uma lomba. Subimos conversando e rindo. O dia tava nublado.

Felizmente, bastava dizer pra portaria que sou fanzineiro inscrito e com isso, não encararia fila
alguma. Só que nem tudo é festa. Por que falei isto?
Esqueci de uma norma proibindo passagens de garrafas ou similares com mais de 1 litro.
O segurança me revistou e ficou com um refri de 2l que levei de casa.

Procurei a mesa dos fanzineiros e lá encontrava-se um de meus professores do Curso de HQ do Dinamo Studio, Maurício Dias.
Já havia me informado sobre um esquema do estúdio em deixar um responsável tomando conta de nosso material.
Após deixar minha mochila, falei com um organizador pra tenta reaver minha bebida e esperei uns minutos.
Como resposta, soube que os produtos impedidos no portão não eram devolvidos. É...
Ao menos, o prejuízo não foi grande. Era um refresco de uva, mais barato que uma Coca-Cola.
Tinha a meu favor uma garrafa que até ciclistas usam e um pacote com pastéis de frango.
Menos mal...
Meus títulos dividiram espaço com os de velhos conhecidos, ex-alunos ou não do Dinamo.
Tinha até uma revista independente de Cachoeira do Sul-RS, chamada Alexandria, do Grupo Teatro de Nanquim (veja a capa, abaixo). Seus autores: Matias Streb, Carlos Francisco e Jader Corrêa.

Já falei com eles na Feira do Livro de Poa, ano passado. Matias é quem ilustrou as capas do Alexandria e me mostrou seus trabalhos. Ele também desenha mangás!

Essa convenção tinha como propósito de ser ao estilo de um evento internacional voltada pra super-heróis, tipo a Comic-Con de San Diego (EUA).
Até criaram um personagem representativo (veja sua imagem na Parte 1 deste artigo).
Pra mim, lembrava mais um Anime Xtreme. Tinha muita gente trajada como no mangá e anime Naruto. Mas...

Hora do almoço!

Depois, o meu amigo que não me acompanhou, apareceu. Quem?
Denilson Reis, trazendo seus títulos Tchê e Arquivo, além do CD-rom Tchê- Vol.1.
Ele foi de carro, com seu filho Henrique.
Vi um estande que mostrava dvds com seriados e desenhos que passaram ou não no SBT, na Rede Manchete (que fechou, claro),TVE, Globo... Denominado Seriados Anime Tokusatsus.
Exibiram episódios dos Changeman, Os Supremos, Comandos em Ação... E tinham na mesa, Pole Position, Cavalo de Fogo, X-Men, Space Ghost e outros.
Perguntei a um cara vestido de Robin como fixou a própria máscara. E me disse ter usado fita dupla face. Bizarro!
Na escadaria daquela escola, havia um pôster do filme Max Payne (adaptação de um videogame), com Mark Wahlberg (Atirador, O Corruptor...) no papel principal.
Continua.

Um comentário:

  1. Bom relato! Puxa! Eu sempre chegava atrasado nesse Anima Heroes...

    ResponderExcluir